19 de out de 2012

19/10/2010 - O dia em que aplaudimos o gol do adversário

Já estava 5 a 0 para o Arsenal e era 37 do segundo tempo, quando Eduardo da Silva passou para Jadson que devolveu para Dudu pegar de primeira e descontar para o Shakhtar, muitos aplausos no Emirates, pois Eduardo é um ídolo do torcedor do Arsenal, mesmo não ter sido um grande jogador do Arsenal. Até Arsène Wenger aplaudiu o camisa 11 do Shakhtar que teve seu nome aclamado no Emirates, será que a torcida aplaudiria se ele tivesse feito o gol de empate ou o da vitória do Shakhtar? Eu dúvido.
Tudo começou em dezembro de 2007, quando Eduardo fez 2 gols e comandou a virada do Arsenal sobre o Everton em Goodison Park, o resultado recolocou o Arsenal na liderança do campeonato e Eduardo cavou uma vaga de titular, começou a fazer muitos gols, entre eles a meia-bicicleta contra o Manchester City, na vitória por 3 a 1. Mas um tal de Martin Taylor resolveu interromper a carreira de Eduardo e num lance maldoso, tirou o brasileiro naturalizado croata dos gramados por 1 ano. Ele voltou em 16/2/2009, (2 anos depois nessa mesma data bateríamos o Barcelona por 2 a 1) contra o Cardiff e marcou 2 gols, mas não foi o mesmo, mostrando-se muito irregular até sair do clube no verão europeu de 2010.
Poucos se lembram, mas no jogo da volta em Donetsk, Eduardo fez o gol da vitória do Shakhtar, que ajudou o Arsenal a passar em 2º, (se bem que boa parte da culpa é do Wenger, mas não vem ao caso), em ambos os gols, Eduardo não comemorou mostrando respeito ao clube que tão bem o tratou e que acreditou nele, num momento em que quase ele perdeu o pé.
Você mereceiu os aplausos do torcedor do Arsenal, naquela noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário